Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

31 de agosto de 2015

Prefeitura divulga edital de concurso para técnico em cultura

A Secretaria Municipal de Administração (SMA) divulgou na edição desta segunda-feira, 31, do Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa), o edital 93, referente ao concurso público para o provimento do cargo de técnico em cultura -museologia. O edital torna pública a realização do concurso para provimento efetivo do cargo, de seu quadro de pessoal das administrações direta, autárquica e fundacional e para formação de cadastro reserva. O concurso será realizado diretamente pela Coordenação de Seleção e Ingresso da Secretaria Municipal de Administração, sendo a Comissão Examinadora composta por servidores efetivos do Município e da empresa Objetiva Concursos.
 
As inscrições começam às 9h desta terça-feira, 1°, e terminam às 23h59 do dia 18 de setembro, sendo admitida somente via Internet, pelo site da secretaria. 
 
Para mais informações, acesse o Edital 93 ou a edição do Dopa desta segunda-feira. 


/concurso_publico
Texto de: Vanessa Carvalho (estagiária)/Supervisão de Rogério Amaral
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Divulgados vencedores de concurso e inscrições para o Açorianos

Foto: Divulgação/PMPA
Trabalhos selecionados serão lançados em livro Trabalhos selecionados serão lançados em livro
O Diário Oficial de Porto Alegre desta segunda-feira, 31, publicou a lista de selecionados do 22º concurso Histórias de Trabalho, promovido pela Coordenação do Livro e Literatura da Secretaria Municipal da Cultura para incentivar o registro de narrativas sobre essa temática. Dentre 83 inscrições de todo o país, o júri escolheu oito textos, sete fotografias, dois cartuns e uma história em quadrinhos, que serão reunidos em publicação da Editora da Cidade com lançamento na Feira do Livro de Porto Alegre.

Também foram divulgados os 225 livros inscritos no 22º Prêmio Açorianos de Literatura, nas categorias Narrativa Longa, Conto, Crônica, Poema, Infantil, Infanto-Juvenil, Especial, Ensaio de Literatura e Humanidades, Capa e Projeto Gráfico. Trata-se da mais importante iniciativa do gênero no Rio Grande do Sul. Os finalistas de cada categoria serão conhecidos durante a Feira do Livro e os vencedores anunciados no dia 23 de novembro. Além de um troféu criado por Xico Stockinger, eles concorrerão a "Livro do Ano", com prêmio de R$ 10 mil.
Já o 5º Prêmio Açorianos de Criação Literária, que em 2015 tem como foco a Literatura Juvenil, teve confirmadas 15 inscrições de autores da Capital e Interior do Estado. O texto vencedor será editado em livro no ano que vem e ainda renderá R$ 10 mil e troféu ao autor.

Clique aqui para consultar as  três listas (páginas 18 a 27):

Outras informações
Coordenação do Livro e Literatura/SMC
Av Erico Verissimo 307 (quase esquina com Ipiranga)
(51) 3289-8072 • cll@smc.prefpoa.com.br
coordenacaodolivro.blogspot.com



/cultura /literatura
Texto de: Marcello Campos
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Plano Municipal de Cultura com o Executivo para sanção

 
Hoje, 31/08/15, foi protocolado o PLANO MUNICIPAL DE CULTURA para que o Executivo sancione após ele ser aprovado em 13/07/2015 por unanimidade da Câmara por acordo entre a sociedade civil e gestores.
 
Guimarães Presidente  Conselho Municipal de Cultura
Em mandato prorrogado
F: 3338.8738 / 9987.5880
Twitter Guimarães:http://twitter.com/notas_guimaraes
https://www.facebook.com/Paulorobertoguimaraes
Blog Conselho POA:http://cmcpoa.blogspot.com

Porto Alegre Em Cena abre nesta quinta

Foto: Olivier Quadah/Divulgação PMPA
Acompanhada pelo grupo Vocal Ensemble, Monk fará o show de abertura
Acompanhada pelo grupo Vocal Ensemble, Monk fará o show de abertura
Nesta quinta-feira, 3, tem inicio a 22º edição do Porto Alegre Em Cena. Na programação, que vai até 20 de setembro, estão confirmados espetáculos da Bélgica, Argentina, Uruguai e destaques da produção brasileira. Além das peças teatrais e shows, as atividades formativas são um importante segmento do festival. São oficinas, mostras descentralizadas, parcerias com outros municípios, como Caxias e Canoas. Outros destaques do festival são o Prêmio Braskem em Cena, que completa dez anos em 2015, o ciclo de cinema e o projeto Psicanalítica em Cena. O Ponto de Encontro na Casa de Teatro seguirá reunindo artistas e participantes em programações paralelas e encontros.
 
Gaúchos Em Cena - Os livros produzidos no Porto Alegre Em Cena deste ano abordam a trajetória do ator Mauro Soares e têm a autoria do jornalista Roger Lerina. Essa coleção é lançada anualmente nas edições do festival e coloca em destaque os personagens das artes cênicas gaúchas. A homenageada desta edição será a atriz Adriane Mottola, que tem mais de 30 anos de carreira dedicados às artes cênicas, com espetáculos memoráveis no currículo.

Meredith Monk – Será a atração da abertura da 22ª edição do festival. Meredith Monk, compositora, coreógrafa e intérprete, uma das artistas americanas mais importantes de sua geração, mostra suas composições em diversos gêneros, revelando versatilidade musical e criatividade visual. Atualmente, celebra sua 50ª temporada de criação e performance com espetáculos em que explora a voz como se fosse um instrumento, numa linguagem própria e muito peculiar - que desenvolveu ao longo de sua carreira. A artista expande os limites da composição musical e cria paisagens sonoras que revelam sentimentos, energias e até mesmo memórias que a linguagem não é capaz de traduzir. Monk e sua Vocal Ensemble oferecem, em quarteto, um concerto apresentando sua singularidade como compositora e seu comprometimento com uma espécie de transformação espiritual através da música.
 
A música tem espaço expressivo no Porto Alegre em Cena, que este ano traz as revelações Tulipa Ruiz, em seu Dancê; Zélia Duncan, com o show Tudo esclarecido, abordando a obra de Itamar Assumpção; Ná Ozzeti e José Miguel Winsnik e Adriana Calcanhotto são alguns destaques. O Porto Alegre em Cena contará, mais uma vez, com o patrocínio da Petrobras e Braskem, empresas parceiras do festival. 
Lista dos espetáculos internacionais, nacionais e locais:
Internacionais
Arthur de Faria e Omar Giammarco – Argentina
Attends, attends, attends... (pour mon père) – Bélgica
El Pelicano – Uruguai
Heda Gabler – Uruguai
Love, love, love – Uruguai
Marx In Soho – Uruguai
Meredith Monk / Quartet Concert - Estados Unidos
 
Nacionais
Adriana e Cid – Rio de Janeiro
Badi Assad – São Paulo
Caesar – São Paulo
Como a lua - Pernambuco
Contrações – Rio de Janeiro
Dancê / Tulipa Ruiz – São Paulo
Frida y Diego – Rio de Janeiro
Galileu Galilei – Rio de Janeiro
Karamazóv – São Paulo
Krum – Paraná/ Rio de Janeiro
Mortal loucura/ Tatit, Wisnik, Nestrovski e Reze – São Paulo
Ná e Zé/ Na Ozzetti e José Miguel Wisnik – São Paulo
Oleanna – Rio de Janeiro
Por um pouco de veneno / Carlos Careqa - Paraná
Potestad – São Paulo
Rei Lear - Pernambuco
Ricardo III – São Paulo
Stupro - Pernambuco
Zélia Duncan – São Paulo
 
Locais
A vida dele, de In.Co.Mo.De-Te
As quatro direções do céu, de Cia Teatral Face e Carretos
Bukowski - Histórias da vida subterrânea, de Depósito de Teatro
Bundaflor, Bundamor, de Eduardo Severino Companhia de Dança
Cidade proibida, de Cia Rústica
Língua mãe - Mameloschn, de Ato Cia Cênica
Os homens do triângulo rosa, de Cia Teatro ao Quadrado
P-U-N-C-H
Um dia assassinaram minha memória, de Jogo de Cena Companhia Teatral
Vertigens, de Circo Teatro Girassol
 
O Porto Alegre em Cena é uma realização da Secretaria da Cultura e Ministério da Cultura, com a participação do Ministério da Cultura, Secretaria de Estado da Cultura, Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Petrobras e Braskem, com o patrocínio de Panvel Farmácias, apoio cultural de Timac Agro e financiamento Pró-Cultura RS e Governo do Estado do Rio Grande do Sul.
 
 
 


/poa_em_cena
Texto de: Thiago Silva de Oliveira (Estágiário)/Supervisão de Cleber Saydelles
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

30 de agosto de 2015

Cultura é a segunda prioridade no geral no OP

OP bate recorde histórico de participação nas assembleias

30/08/2015 16:13:41

Foto: Ricardo Giusti/PMPA
Plenárias reuniram 20.657 inscritos, maior número em 26 anos Plenárias reuniram 20.657 inscritos, maior número em 26 anos
Os 23 encontros da rodada de Assembleias Regionais e Temáticas do Ciclo 2015/2016 do Orçamento Participativo, iniciados no dia 27 de julho, contabilizaram 20.657 credenciamentos, um crescimento de 17,52% de participação em relação ao ano passado, com 17.582 credenciados. É o maior número de inscritos desde a implantação do OP há 26 anos. "Estes números comprovam que Porto Alegre está voltada para as pessoas, uma cidade onde elas próprias escolhem a melhor forma de aplicar os recursos públicos”, disse o prefeito José Fortunati.

Duas regiões se destacaram por bater o recorde de participação, que pertencia ao OP do ano passado por ocasião dos 25 anos de sua implantação. A região Restinga registrou 1.946 inscritos, superada apenas pela recordista região Eixo Baltazar, com 1.974 participantes, a maior plenária da história do OP em participação.

Prestação de Contas – Durante as 23 plenárias do OP, os secretários de Governança Local, Cezar Busatto e adjunto, Carlos Siegle de Souza, apresentaram os números gerais do OP. Nos dados fornecidos pela Secretaria de Planejamento Estratégico e Orçamento (SMPEO) constaram informações do Plano de Investimentos e Serviços (PI) deste ano, que tem mais de R$ 80 milhões em demandas novas, sendo R$ 67 milhões das regionais e R$ 12,5 milhões das temáticas, detalhados de acordo com a plenária da ocasião. As apresentações relacionadas às regiões contaram com o mapa georreferenciado, das demandas contidas no PI, organizado pela equipe do Observatório da Cidade de Porto Alegre (ObservaPOA).

Ações nas regiões e temáticas – Também os conselheiros registraram sua prestação de contas durante a gestão. Em todas as plenárias, os conselheiros disponibilizaram aos participantes as ações nas respectivas regiões e temáticas. O material foi organizado pelos conselheiros, gestores de democracia participativa local, gestores temáticos com o apoio da Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Governança Local.

Demandas mais votadas nas 17 regiõesHabitação continua a primeira prioridade mais votada nas regiões. Esteve entre as quatro prioridades em 14 regiões, sendo que em 11 foi a primeira colocada. A segunda prioridade na lista das mais eleitas superou sua marca do ano passado: Cultura também ficou entre as quatro primeiras prioridades em 14 regiões e ainda conquistou a marca inédita de ser a primeira colocada em duas, Noroeste e Leste. A terceira colocação é do tema Saneamento básico- drenagem e dragagem, e a quarta colocação geral pertence ao tema pavimentação. Veja a lista de prioridades eleitas nas Temáticas e nas Regiões.

Conselheiros Eleitos – A maioria das regiões e temáticas entrou em consenso e constituiu uma única chapa para representá-los no Conselho do OP (COP). Dezesseis plenárias, das quais quatro temáticas e 12 regionais, saíram da assembleia com sua chapa única eleita por aclamação. Já outras sete plenárias apresentaram disputa de chapas. A temática Cultura elegeu integramente uma das chapas em disputa, e na região Eixo Baltazar houve uma chapa que retirou a candidatura, elegendo a outra que disputava o pleito. Nas outras cinco plenárias com disputa de chapas, a que conquistou o maior número de votos indicará os membros para preencher as vagas conquistadas.

Atrações Culturais – Houve apresentações culturais nas seis plenárias temáticas, com a parceria da Descentralização da Cultura. E os fóruns de delegados das regiões indicaram talentos locais para se apresentarem no início das plenárias. No Extremo Sul, a apresentação ficou por conta do cantor nativista Elton Saldanha, morador da região. 

Público do OP - O Observa POA, em parceria com a Ufrgs, realizou pesquisa quantitativa sobre o perfil dos participantes das assembleias do Orçamento Participativo. A pesquisa “Observando o Orçamento Participativo de Porto Alegre – perfil social e associativo, avaliação e percepções dos participantes da assembleias do OP” retorna após seis anos desde sua última realização. O trabalho ocorreu em todas as plenárias, temáticas e regionais.

Posse dos Conselheiros – Os conselheiros da gestão 2015/2016 tomarão posse em Assembleia Municipal que acontecerá no dia 20 de novembro na Casa do Gaúcho (rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 301 - Parque Mauricio Sirotsky Sobrinho). Na ocasião, os delegados das regiões e temáticas também serão empossados.




/orcamento_participativo
Texto de: Indaiá Dillenburg
Edição de: Gilmar Martins
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

OP: região Humaitá-Navegantes escolhe habitação como prioridade

Foto: Joel Vargas/PMPA
Participaram da última plenária 1.683 moradores da região
Participaram da última plenária 1.683 moradores da região
Foto: Joel Vargas/PMPA
Crescimento de 17,52% fortalece a cidade como Capital da participação popular
Crescimento de 17,52% fortalece a cidade como Capital da participação popular
Um total de 20.657 pessoas participou da rodada de assembleias do Orçamento Participativo (OP) de 2015. Neste sábado, 29, 1.683 moradores da região Humaitá-Navegantes passaram pela última plenária. Os moradores escolheram Habitação, saneamento básico, educação e assistência social como prioridades. (fotos)

O crescimento de 17,52% de participação do ano passado para este fortalece a cidade como a Capital da participação popular, segundo o prefeito José Fortunati. “É a comprovação de que esta é uma cidade voltada para as pessoas e onde elas próprias escolhem a melhor forma de aplicar os recursos públicos”, disse o prefeito. A região Humaitá-Navegantes receberá investimento de R$ 3.204.500,00. É uma das regiões mais participativas, na opinião do prefeito. “Estamos encerrando o OP com um recorde de presenças. Isso se deve ao trabalho inestimável das lideranças locais”, enfatizou, lembrando que houve um crescimento de 54,18% de participação em relação ao ano passado. 

Durante a plenária, Fortunati foi questionado sobre os alagamentos e sobre a construção de moradias populares, sobretudo para as famílias que deverão sair para a construção da nova ponte. O prefeito informou sobre os investimentos que serão feitos na casa de bombas e também sobre o destino dos moradores das vilas Tio Zeca e Areia. “A  garantia da prefeitura é de que ninguám sairá sem uma solução habitacional definida”, disse. Ele também informou sobre a iluminação das praças da região e do processo de construção de moradias para os moradores da Vila Liberdade e do Loteamento Barcelona.

A plenária também escolheu seus novos delegados. Com 74,73 % dos votos válidos, foi eleita a chapa 1, tendo como titulares Lurimar Almeida Fiuza e Alcema Oliveira Moreira, e suplente Loreni Lucas.

Investimentos em novas demandas – O Plano de Investimentos e Serviços (PI) deste ano contém mais de R$ 80 milhões em demandas novas, sendo R$ 67 milhões das regionais e R$ 12,5 milhões das temáticas. Mesmo não estando imune à crise que afeta o país e o estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre está mantendo sua capacidade de investimentos.
 
Além das discussões acerca das novas demandas das regiões e temáticas e a garantia sobre a continuidade de execução das demandas antigas, os fóruns de delegados e o governo debateram e apresentaram propostas de alteração do regimento interno. As discussões foram conduzidas pelas duas secretarias municipais responsáveis pelo Orçamento Participativo: Governança Local (SMGL) e Planejamento Estratégico e Orçamento (SMPEO).

Maior participação – Em 2014, quando o OP completou 25 anos de implantação, as Assembleias Regionais e Temáticas registraram recorde de participação contabilizando 17.582 credenciamentos. Porém, neste ano, na penúltima assembleia, que ocorreu no Eixo-Baltazar, já foram ultrapassados todos os recordes históricos em 26 anos de OP, atingindo mais de 19 mil credenciados.




/orcamento_participativo /participacao_popular
Texto de: Caren Mello
Edição de: Isabel Cristina Kolling Lermen
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

29 de agosto de 2015

Quase 40% dos CTG's estão fora do RS; confira mapa do tradicionalismo


CTG's preservam as tradições e são palco de grandes bailes (Foto: Rogerio Bastos/Divulgação)

Centros de Tradições Gaúchas (CTG’s) estão em 23 Estados do país. Há entidades até em Rio Grande do Norte e no Maranhão.


Com uma média de 3,5 Centros de Tradições Gaúchas (CTG’s) por município, o Rio Grande do Sul é, pela lógica, o Estado brasileiro com mais entidades que cultivam a cultura e os costumes do povo gaúcho. São 1.731 Centros para 497 municípios.

Mas não pense que é só no Estado mais ao Sul do país que existem os CTG’s. Fora do Rio Grande do Sul, há 1.103 entidades espalhadas por 23 Estados, o que representa 38% do total de 2.834 instituições em todo o Brasil.

Os vizinhos catarinenses ocupam o segundo lugar entre os Estados com mais CTG’s no país, seguidos dos paranaenses. Conforme o presidente da Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG), João Ermelino de Mello, para ser contabilizada, a entidade precisa ser filiada ao Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) da região que compreende.

Mello, que é natural de Santo Ângelo e reside em Campo Grande (MS), avalia que a proliferação dos CTG’s pelo país tem origem na busca dos gaúchos por oportunidades em outros Estados. Após se mudarem, sentiram a necessidade de amenizar a saudade da tradições.

“O Rio Grande do Sul ficou pequeno, tivemos de sair. Mas, devido ao nosso saudosismo, sempre formam-se grupos e assim surgem os CTG’s. Temos o sentimento da saudade mais aguçado, inventamos qualquer coisa para nos reunirmos”, comenta Mello ao G1.

O presidente da CBTG compartilha ainda da ideia de que, para ser gaúcho, não é preciso pertencer ao território, pois o que caracteriza o modo de vida são os costumes e a paixão pela cultura.

Veja o ranking de CTG’s por Estado:1º Rio Grande do Sul - 1.731
2º Santa Catarina - 601
3º Paraná - 336
4º Mato Grosso - 43
5º Rondônia - 33
6º São Paulo - 28
7º Mato Grosso do Sul - 19
8º Goiás - 9
9º Rio de Janeiro - 7
10º Bahia - 5
11º Distrito Federal - 4
12º Amazonas e Minas Gerais - 3
13º Tocantins e Pernambuco - 2
14º Acre, Roraima, Pará, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Espírito Santo - 1


Fonte: portal G1 - Jogos Farroupilha / Rio Grande do Sul

Porto Alegre recepciona a Chama Crioula

Uma cerimônia realizada na 1ª Região Tradicionalista (RT), localizada na rua Landel de Moura, 430, bairro Trsiteza, nessa sexta-feira, 28, recebeu a Chama Crioula, símbolo dos festejos farroupilhas. Este ano a chama foi acesa na cidade de Colônia do Sacramento e trazida pelo Sentinelas da Chama até Porto Alegre, em cavalgada que durou 45 dias e percorreu 1450 quilômetros no Uruguai e no Rio Grande do Sul. A chama ficará no local até ser levada, no dia 7 de setembro, para a abertura do Acampamento Farroupilha.

Participaram da solenidade o secretário municipal da Cultura (SMC), Roque Jacoby, o presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Manoelito Savaris, e o coordenador da 1ª RT José Arnildo Gomes, além dos cavalarianos e representantes de Centros de Tradições Gaúchas (CTGs) que integram a 1ª RT. Para o secretário Roque Jacoby, o Acampamento Farroupilha, a Chama Crioula e as comemorações da Semana Farroupilha mantêm viva a cultura e tradição do Rio Grande do Sul.


/cultura /tradicionalismo
Texto de: Cleber Saydelles
Edição de: Isabel Cristina Kolling Lermen
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

    Jovens surdos dão show em noite de música e dança


    Um mundo de silencio eterno. Imagine tampar seus ouvidos de forma a não escutar nada, como se este sentido lhe fosse retirado. Teu equilíbrio corporal seria alterado. Tua percepção também. Movimentos sem som. Uma solidão que te acompanharia pelo teus dias, um vazio ao redor. Assim pode ser definida a vida de um deficiente auditivo.
    Mas existem anjos que não permitem que isso aconteça na vida destes jovens. A professora Leda Terezinha Salvi, 63 anos, há um ano na escola estadual Lilia Mazeron, agitou o lugar, é uma delas.
    Leda trabalhou 26 anos na escola especial Concórdia, da ULBRA, onde fundou o CTG Querencia, cujo lema dizia:" No brilho de nossos olhos, o amor pela querencia", e ali ela mudou a vida de centenas de jovens surdos.
    Quando parou n Concórdia leda tentou manter o grupo no CTG Glaucus Saraiva, Tiaratu, 35 CTG, até que foi morar no litoral e lá cuidar de um grupo de terceira idade. mas a gaiteira nunca abandonou seus surdos. Voltou e há um ano trabalha danças na escola com apoio dos colegas e pais.
    Nesta noite de sexta-feira, 28 de agosto, Leda apresentou seu trabalho para a comunidade escolar. Dança do Ventre, Anos 60/70, Hip Hop e Danças Tradicionais Gaúchas com crianças surdas. Chamou sua primeira patroa e hoje, sua colega na escola, e seu último patrão, do CTG Querencia da escola Concórdia, Vantuir Bastos, para cantarem juntos "Céu, Sol, Sul, terra e Cor", em linguagem de sinais.
    Estiveram presentes, representando o CTG Tiarayu, Carolina Gehres Moraes, 1ª prenda mirim da 1ª região, e seu irmão, com sua mãe, pai e irmão.
    A pergunta é: O que levou eles a se assustarem desta forma? Não deixe de participar do próximo evento e saiba

    A professora Leda estará se apresentando no Parque da harmonia em alguns acampamentos, inclusive do CTG Tiarayu, estará visitando o pioneiro, 35 CTG, entre outros. "Estamos aceitando convites para apresentações, para levar nossos jovens para mostrar a sua arte", concluiu a professora Leda.

    Conselho em visita ao Mocambo na Harmonia


    Hoje, estivemos em visita ao MOCAMBO (lote 253), entidade da Negritude cuja liderança é a Maria Elaine, Conselheira da Cultura, que ainda está em fase de construção.
    Este ano o acampamento conta com algumas novidades, tais como:
    -uma rua só para os piquetes que promovem bailes;
    -os espaços entre os piquetes são de 2 metros;
    -as ruas têm um espaço mínimo de 5 metros;
    - foi construído um mirante com vista para todo o acampamento.
    Guimarães Presidente  Conselho Municipal de Cultura
    Em mandato prorrogado
    F: 3338.8738 / 9987.5880
    Twitter Guimarães:http://twitter.com/notas_guimaraes
    https://www.facebook.com/Paulorobertoguimaraes
    Blog Conselho POA:http://cmcpoa.blogspot.com

    Artistas saem às ruas para protestar contra mudanças na lei


    via zero hora:

    Manifesto teve início no Centro Histórico e terminou na Cidade Baixa

    Por: Marcelo Kervalt
    28/08/2015 - 23h16min

    Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS
    As vias de Porto Alegre foram tomadas por dezenas de artistas de rua carregando instrumentos, máscaras e indignação. O protesto, que teve início às 19 horas na Largo Glênio Peres e seguiu para o Largo Zumbi dos Palmares, na Cidade Baixa, é uma forma de repúdio à minuta divulgada pela prefeitura no dia 13 deste mês. O documento regra as manifestações culturais de rua e promove uma série de mudanças na lei nº 11.586, de 5 de março de 2014. Para o integrante da diretoria do Sindicato dos Artistas e presidente da Casa do Artista Rio-Grandense, Luciano Fernandes, a prefeitura não está respeitando os direitos dos artistas.
    — O documento faz uma série de exigências como a proibição de tambores. Os artistas teriam, conforme a minuta, que fazer um cadastro para poder se apresentar. A situação já está difícil com espaços culturais fechando e mais pessoas vindo para as ruas. A prefeitura não pode fazer isso. Nós estamos de olho e vamos nos manifestar para que essa minuta não seja oficializada — disse Fernandes.
    Leia a minuta de decreto na íntegra
    Artistas de rua têm em comum a relação com a música ainda na infância

     

    Manifesto pelas ruas Foto: Adriana Franciosi / Agência RBS
    Diante de manifestações anteriores, o vice-prefeito, Sebastião Melo, garantiu que a minuta de decreto foi criada para colocar o assunto em pauta, mas que o documento precisa ser aperfeiçoado. Segundo Melo, a minuta foi distribuída sem a sua anuência. Ele pediu, ainda, que o texto fosse desconsiderado.
    Mesmo assim, o Sindicato dos Artistas optou por realizar a manifestação desta noite.
    — A prefeitura tem que saber que estamos atentos — finalizou Fernandes.
    * Zero Hora

    Guimarães Presidente  Conselho Municipal de Cultura
    Em mandato prorrogado
    F: 3338.8738 / 9987.5880
    Twitter Guimarães:http://twitter.com/notas_guimaraes
    https://www.facebook.com/Paulorobertoguimaraes
    Blog Conselho POA:http://cmcpoa.blogspot.com

    28 de agosto de 2015

    Manifestações dos artistas de rua serão tema de reunião na Câmara

    28/08/2015 10:15:00

    Foto: Ivo Gonçalves/PMPA
    Debate no Teatro Renascença, na quarta-feira, 26, reuniu cerca de 300 pessoas

    Debate no Teatro Renascença, na quarta-feira, 26, reuniu cerca de 300 pessoas

    Um novo encontro para debater a regulamentação da lei sobre manifestações culturais dos artistas de rua será realizado na segunda-feira, 31, entre a Secretaria Municipal da Cultura (SMC) e a Comissão de Educação, Cultura, Esportes e Juventude (Cece) da Câmara Municipal. A reunião acontece na sede do Legislativo, às 14h. Um grupo de trabalho foi formado para elaborar um calendário de encontros com outros setores como Sindilojas, Federasul e Associações de Moradores.

    O primeiro debate foi realizado na quarta-feira, 26, no Teatro Renascença, com a presença de 42 coletivos e entidades representativas do setor, somando cerca de 300 participantes. Dessa reunião resultou um conjunto de propostas que servirão de subsidios para a formulação final. Para o secretário-adjunto da Cultura, Vinicius Cáurio, a reunião foi um marco para a busca da maior harmonia possível. Para o secretário, os artistas mostraram disposição de construir conjuntamente uma regulamentação que respeite a convivência e proporcione um maior relevo à arte em Porto Alegre. "Na segunda-feira, buscaremos definir um calendário junto à Câmara Municipal, para ampliar a discussão com os demais segmentos da sociedade", afirma Cáurio.



    /cultura

    Texto de: Cleber Saydelles
    Edição de: Carolina Seeger
    Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

      Guimarães Presidente  Conselho Municipal de Cultura
      Em mandato prorrogado
      F: 3338.8738 / 9987.5880
      Twitter Guimarães:http://twitter.com/notas_guimaraes
      https://www.facebook.com/Paulorobertoguimaraes
      Blog Conselho POA:http://cmcpoa.blogspot.com
        

    Ritmo intenso de trabalho no Acampamento Farroupilha


     

    Mais de 300 entidades tradicionalistas, entre CTGS, DTGs e piquetes estão ultimando os preparativos para a realização de mais um Acampamento Farroupilha em Porto Alegre. O evento acontece de 7 a 20 de setembro no Parque da Harmonia, apresentando uma programação artística, cultural e campeira. A exemplo do ano passado, o Turismo de Galpão levará para o público dezenas de oficinas que ensinarão sobre as práticas do gaúcho, nas áreas gastronômica, de lida campeira e também folclórica.
    O evento é realizado pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho, Prefeitura Municipal de Porto Alegre e Governo do Estado e integra a programação dos Festejos Farroupilhas, que neste ano tem como tema ‘O Campeirismo Gaúcho e os 180 anos da Revolução Farroupilha’. Para a edição deste ano, são esperados entre 900 mil e 1 milhão de visitantes.
    Uma das novidades deste ano é a realização da Rua dos Bailes, concentrando 15 entidades que realizam os bailes abertos, favorecendo assim a segurança e o policiamento do local. Outra novidade é um mirante, em fase de construção, que possibilitará uma ampla visão das instalações do acampamento.
    Segundo o presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Manoelito Savaris, os festejos farroupilhas são ansiosamente esperados por todos os tradicionalistas a cada ano. Os preparativos iniciam em janeiro, quando é realizado o congresso anual que, entre outras diretrizes, estabelece o tema a ser trabalhado. “Tanto no acampamento como nos desfiles fica evidente o quanto nossa história orgulha ao povo gaúcho e se mantém viva, inclusive nos corações de quem não está diretamente envolvido com algum CTG, DTG ou outra entidade que tenha como objetivo principal a preservação dos nossos costumes”. Segundo Savaris, passear com a família no acampamento, rever amigos, ter uma conversa larga enquanto roda o chimarrão, saboreando uma costela, são momentos de integração de tradicionalistas e sociedade.
    Atualmente, a fase é de construção dos galpões das entidades no acampamento farroupilha. Até o dia 04 de setembro deverá estar tudo pronto para receber o público.

    Foto: Sandra Veroneze


    FONTE: Sandra Veroneze - MTG

    Cultura entre as quatro na Eixo-Baltazar do OP

    Foto: Joel Vargas/PMPA
    Cerca de duas mil pessoas participaram da assembleia regional Cerca de duas mil pessoas participaram da assembleia regional
    Foto: Joel Vargas/PMPA
    Associação de Moradores do Rubem Berta homenagearam Fortunati
    Associação de Moradores do Rubem Berta homenagearam Fortunati
    Com a maior participação em 26 anos de Orçamento Participativo, a plenária da região Eixo-Baltazar realizou sua assembleia na noite dessa quinta-feira, 27. O ato, que ocorreu no Centro Humanístico Vida, contou com a participação do prefeito José Fortunati e secretários municipais. Um total de 1.974 pessoas inscreveram-se para definir as prioridades da comunidade. Além de registrar o maior número de participantes em uma assembleia regional, com essa plenária foi também superado o recorde histórico de 2014, que contou com a presença total de 17.582 pessoas. Com isso, a rodada deste ano, faltando ainda a realização da última assembleia, alcança a presença de 19.370 participantes.

    A área da habitação foi eleita como prioridade de investimentos para a região para no próximo ciclo. Além desta, também foram eleitas educação, esporte e lazer e cultura. Entre as demandas escolhidas pela comunidade estão os projetos de estudo urbano ambiental para a Vila da Mata e a elaboração de parecer jurídico para a regularização da posse dos lotes do Passo das Pedras. A região receberá investimento de R$ 3.471.177.92, que serão aplicados em demandas de habitação, educação, assistência social e cultura.

    No encontro, também foram eleitos os conselheiros da chapa 1, formada  pelos titulares Laura Elisa Machado e Alex Sandro Nunes da Rosa, e pelos suplentes Hugo Osvaldo Hellwig e Cleusi Coelho da Rosa. 

    Homenagens - O prefeito recebeu uma homenagem dos jovens da Associação de Moradores do Rubem Berta (Amorb), que são atendidos pelo serviço de convivência e fortalecimento de vínculos realizado pela Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc). Fortunati foi presenteado com o troféu Água, confeccionado com materiais recicláveis, representando o cuidado com o meio ambiente através do reaproveitamento do lixo pela comunidade. "Fico muito orgulhoso em ver nossos jovens preocupados com o correto descarte dos resíduos  e com a sustentabilidade de nossa cidade. Faço também esse apelo de conscientização para as pessoas tratarem melhor o lixo, que é descartado de forma irregular", disse o prefeito.

    As lideranças da região também homenagearam o líder comunitário Salvatore Lettieri, que faleceu neste ano. Conforme a conselheira Laura Elisa, Lettieri foi um grande defensor das demandas da comunidade no OP.  Fortunati lembrou do grande líder comunitário e poeta. "Lettieri foi alguém que dedicou uma parte da sua vida à comunidade", disse. O prefeito anunciou a mudança do nome da escola de educação infantil Jardim Ingá para escola Salvator Lettieri. "É um pequeno reconhecimento a alguém que fez a diferença na cidade de Porto Alegre", sublinhou.

    Convite - Durante a plenária, o secretário de Governança Local, Cezar Busatto, fez um convite aos presentes para participarem do Seminário Internacional sobre o Orçamento Participativ,o, que será realizado no dia 3 de setembro, às 18h30, no Plenário da Câmara de Vereadores. O evento contará com a apresentação do professor Yves Cabannes, que realizou pesquisa em 20 cidades do mundo que praticam o OP na prestação e gerenciamento de serviços básicos.

    Investimentos em novas demandas – O Plano de Investimentos e Serviços (PI) deste ano contém mais de R$ 80 milhões em demandas novas, sendo R$ 67 milhões das regionais e R$ 12,5 milhões das temáticas. Mesmo não estando imune à crise que afeta o país e o estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre está mantendo sua capacidade de investimentos.  

    Além das discussões acerca das novas demandas das regiões e temáticas e a garantia sobre a continuidade de execução das demandas antigas, os fóruns de delegados e o governo debateram e apresentaram propostas de alteração do regimento interno. As discussões foram conduzidas pelas duas secretarias municipais responsáveis pelo Orçamento Participativo: Governança Local (SMGL) e Planejamento Estratégico e Orçamento (Smpeo).

    Próxima Assembleia

    29/8 (sábado) - Região Humaitá-Navegantes
    Local: Escola Municipal Antônio Giudice - rua Caio Brandão de Mello, s/n – bairro Humaitá

    Acompanhe o Orçamento Participativo

    - Calendário completo da rodada de assembleias regionais e temáticas do Orçamento Participativo 2015/2016.

    - Twitter OP Porto Alegre: @oppoa (ao vivo)

    - Facebook: Orçamento Participativo de Porto Alegre

    - Transmissão ao vivo disponível aqui

    Leia também:

    - OP: assembleia da região Glória elege habitação como prioridade

    - OP: região Extremo Sul prioriza saneamento básico

    - Restinga registra maior participação da história do OP

    - Lomba do Pinheiro elege pavimentação como prioridade do OP

    - Moradores da região Noroeste elegem prioridades do OP

    - Região das lhas escolhe pavimentação como prioridade do OP

    - Cultura é a prioridade do OP escolhida pela região Leste

    - Região Sul do OP escolhe habitação como prioridade

    - Região Cristal elege habitação como prioridade no OP

    - Assembleias do OP são transmitidas ao vivo pela Internet

    - Drenagem e dragagem são prioridades para região Norte

    - Região Centro-Sul elege habitação como prioridade no OP 2015/2016

    - Cruzeiro define suas prioridades no Orçamento Participativo

    - OP: região Centro abre assembléias regionais com público recorde

    - Pesquisa identificará o perfil dos participantes do OP

    - OP: temáticas terminam com votação da Saúde e Assistência Social

    - OP: temática da Cultura e Juventude bate recorde histórico

    - OP: demandas serão classificadas pelas qualidades da resiliência


     


    /orcamento_participativo
    Texto de: Bibiana Barros
    Edição de: Jandira Davila Feijó
    Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

    27 de agosto de 2015

    Porto Alegre Film Commission recebe adesão de 24 entidades

    Foto: Maia Rubim/PMPA
    Moraes destacou que ferramenta é fundamental para fortalecer o setor

    Moraes destacou que ferramenta é fundamental para fortalecer o setor

    Foto: Maia Rubim/PMPA
    Organização é destinada a ser agente facilitador para produções audiovisuais

    Organização é destinada a ser agente facilitador para produções audiovisuais

    Vinte e quatro entidades dos setores audiovisual, turismo, comércio e serviços do Rio Grande do Sul e órgãos públicos municipais de Porto Alegre formalizaram nesta quinta-feira, 27, sua adesão ao termo de cooperação técnica para a criação da Porto Alegre Film Commission, organização destinada a captar e servir de agente facilitador para produções audiovisuais nacionais e internacionais na cidade nas áreas de cinema, publicidade, documentários, novelas entre outras.

    A assinatura do documento ocorreu na abertura do seminário Estruturação da Porto Alegre Film Commission, organizado pela Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR), que reuniu como palestrantes o diretor brasileiro de cinema e de televisão Jayme Monjardim, o presidente da Rede Brasileira de Film Commissions (Rebrafic) e da Rio Commission, Steve Solot, e a secretária de Turismo de Garibaldi e representante da Garibaldi Film Commission, Ivane Fávero.

    O público do evento, formado por representantes de entidades e profissionais do turismo e do setor audiovisual gaúcho, ouviu de cada palestrante suas experiências na organização e operação de film commissions e a importância de seu apoio para as produtoras. "Esse é mais um passo na estruturação dessa ferramenta que é fundamental para Porto Alegre fortalecer o setor audiovisual local e como resultado promover a cidade como destino turístico", disse o secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes, que coordenou o evento.

    Organização - Steve Solot fez ampla abordagem sobre os objetivos, a operação, os aspectos políticos e os benefícios econômicos das film commissions, organizações existentes na maioria dos países. Embora assumam diferentes formatos em cada país, estado ou cidade, Solot afirmou que essas organizações têm, por necessidade de sua função, ligação com entidades governamentais, seja em nível municipal, estadual ou federal, tendo em vista a transversalidade de sua atuação. Além de atrair produções audiovisuais, organizar informações sobre prestadores de serviços e fornecedores e de cenários para os conteúdos audiovisuais, as film commissions tem o papel de facilitar a liberação de autorizações junto a órgãos governamentais e de outros setores para as filmagens, estabelecer regramentos e formas de incentivos.

    "As film commissions são um motor de desenvolvimento e revitalização econômica local e de promoção do turismo das cidades", sentenciou Solot, que apresentou exemplos. Nos Estados Unidos, as filmagens de uma produção cinematográfica geram em locações, em média, US$ 200.000 por dia em atividades econômicas locais e na arrecadação de impostos. Quanto ao impacto das locações no fluxo turístico, a estimativa é de que cerca de 40 milhões de turistas viajem, por ano, para conhecer cenários de filmes e outras produções. Hoje, no Brasil, existem nove film commissions legalmente organizadas e outras 16 em implantação, entre as quais Porto Alegre. "A decisão política é um dos passos fundamentais nesse processo e ele foi dado por Porto Alegre, uma das cidades brasileiras em que mais faz falta a existência de uma organização desta área para melhor aproveitamento do seu potencial cênico", assegurou o presidente da Rebrafic. 

    Experiência – Com produções realizadas em vários países, o diretor de cinema e televisão Jayme Monjardim foi enfático em afirmar a importância do apoio às produções e disse ficar feliz com a iniciativa da capital gaúcha. "Minha experiência mostrou que é impossível fazer qualquer coisa em produção audiovisual sem o apoio profissional de uma film commission, que oferece uma radiografia do que existe no lugar e isso é essencial", afirmou. Citou que as filmagens de O Tempo e o Vento no Rio Grande do Sul tiveram um impacto econômico de R$ 8 milhões, em gastos com diárias, alimentação e outras despesas, frente ao apoio de R$ 2 milhões que a produção recebeu. "Sem contar o legado de uma cidade cinematográfica que foi deixado em Bagé, que segue recebendo visitação de escolas e outros públicos", acrescentou.

    Fluxo turístico – A partir de 2013, a cidade de Garibaldi, na serra gaúcha, registrou um crescimento de 20% no fluxo de visitantes. O aumento é atribuído pela secretária de Turismo do município, Ivane Fávero, às produções audiovisuais captadas ou apoiadas a partir da criação da Garibaldi Film Comimission. "Onde mais ganhamos com as produções, antes, durante e depois de sua realização, é no retorno do turismo cinematográfico, que é um excelente marketing para os destinos",  assegurou Ivane, responsável pela criação da film commission no município como também em Bento Gonçalves, que foi a primeira no RS. 

    Parceiros – De acordo com Moraes, o Conselho Consultivo da Porto Alegre Film Commission será composto pela entidades parceiras. "Estamos determinados a colocar de pé esta organização o mais cedo possível, e com o apoio do setor audiovisual, dos trades turísticos e dos órgãos autorizativos isso deverá ocorrer em breve", ressaltou. Entre os próximos passos está a organização de um banco de dados com um guia de serviços da cidade, a definição do formato de operação da film commission, do regramento e formas de apoio e de incentivos às produções.

    Assinaram o termo de cooperação técnica as secretarias municipais de Turismo, da Cultura (SMC), do Meio Ambiente (Smam), de Obras e Viação (Smov), de Segurança (SMSEG), os gabinetes de Comunicação Social (GCS) e de Inovação e Tecnologia (Inovapoa), o Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), o Sindicato da Indústria Audiovisual do Rio Grande do Sul (Siav), a Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos do Rio Grande do Sul (APTC), a Fundacine, o Arranjo Produtivo Local Audiovisual (APL), a Associação Brasileira de Agências de Viagem (ABAV-RS), a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), a Associação  das Transportadoras Turísticas do RS (Aturs), a Federação das Associações Comerciais e de Serviços do RS (Federasul), a Fundação Cultural Piratini TVE e FM Cultura, o Porto Alegre e Região Metropolitana Convention & Visitors Bureal, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-RS),  o Sindicato dos Lojistas do Comércio de Porto Alegre (Sindilojas) e o Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre e Região (SINDHA).



    /turismo

    Texto de: Eliana Zarpelon
    Edição de: Isabel Cristina Kolling Lermen
    Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

    Guimarães Presidente  Conselho Municipal de Cultura
    Em mandato prorrogado
    F: 3338.8738 / 9987.5880
    Twitter Guimarães:http://twitter.com/notas_guimaraes
    https://www.facebook.com/Paulorobertoguimaraes
    Blog Conselho POA:http://cmcpoa.blogspot.com

    Artistas da Rua da Praia querem regulamentação sem burocracia

    VIA ZH:

    Após audiência pública sobre novo regramento, saiba como o assunto repercutiu nas ruas da Capital

    27/08/2015 - 18h10min
    Artistas da Rua da Praia querem regulamentação sem burocracia Lara Ely/Agencia RBS
     
    Na esquina democrática, palhaço paçoca distribui balões e rouba sorrisos Foto: Lara Ely / Agencia RBS
    Após uma minuta de decreto gerar polêmica na Capital com a regulamentação do trabalho dos artistas de rua, a reportagem foi até a Rua da Praia ouvir o que os mais interessados no tema pensam sobre o assunto. Entre os artistas ouvidos estão personagens famosos da via, como a estátua viva do Laçador e o Palhaço Paçoca.
    Prefeitura recebe propostas de artistas de rua em audiência pública 
    Nesta quinta, nem todos os artistas presentes no local estavam cientes da discussão - mas quando consultada, a maioria concordou com a necessidade de estabelecer normas de convívio, mas sem que se perca a autonomia.
    Entre os pontos do eventual regramento que mais geraram polêmica estão o pedido de autorização para permanência nos pontos de apresentação, o volume dos alto-falantes e a venda de CDs junto aos locais dos shows.
    Desconsiderem o texto, diz vice-prefeito da Capital sobre regulamentação de artistas de rua
    — O regulamento é legal, mas inibir os músicos é estranho. O nome da cidade diz o que os turistas costumam encontrar por aqui, uma Porto Alegre com manifestação de diversos gêneros. Se tirarem essa diversidade, vão tirar a graça da cidade — diz o músico Welci Araújo, que há 15 anos percorre as ruas tocando harpa e guitarra havaiana.
    A venda de CDs e o volume do som, para ele, são pontos passíveis de regramento. As soluções, segundo o músico, seriam a fiscalização do limite de decibéis e o pagamento de alvará para comercializar música própria. Sobre o pedido de licença para instalação nos endereços de apresentação, Araújo discorda:
    — Temos que trabalhar todos os dias. Se tiver que avisar a cada dia, isso vai atrapalhar muito.
    Leia todas as notícias da seção Pelas Ruas
    Presente na discussão na noite de quarta, Anderson Demétrius Rodrigues da Silva, que faz o personagem Palhaço Paçoca, acha que a discussão foi importante e histórica, mas que faltam pequenos ajustes. Leonel dos Santos, estátua viva do Laçador, acha que o que falta é ter bom senso:
    — O artista pedir autorização para trabalhar na rua é um absurdo. Quanto ao volume do som, o pessoal tem que colaborar: nem tão alto, nem tão baixo. É cada um ceder um pouco e deixar que a arte flua.
    Além dos gaúchos, que estão organizados em associação e acompanham a discussão há mais tempo, os estrangeiros que fazem arte pelas ruas da cidade também seriam impactados pelo regramento.
    O desenhista peruano Herman León, que fabrica o próprio giz com cal e pigmentos para desenhar em calçadas onde o piso está danificado, defende que não haja regramentos e que todos os artistas deveriam ser livres para exercer o seu trabalho.
    A responsabilidade individual, afirma ele, é o que deveria tangenciar o uso compartilhado dos espaços públicos. Já para o equatoriano Luís Alberto Tuqerrez, que improvisou um motor de lancha para ligar sua caixa de som e amplificar o volume da flauta, o mais importante não é vender, e sim estar na rua para mostrar sua arte.

    OP: assembleia da região Glória elege habitação como prioridade,cultura entre as quatro


    Foto: Ivo Gonçalves/PMPA
    Mais de 700 pessoas da comunidade participaram da plenária
    Mais de 700 pessoas da comunidade participaram da plenária
    Foto: Ivo Gonçalves/PMPA
    Fortunati falou da importância do OP como instrumento democrático
    Fortunati falou da importância do OP como instrumento democrático
    A chuva na noite dessa quarta-feira, 26, não impediu a participação da comunidade da região Glória na assembleia do Orçamento Participativo (OP) 2015/2016. O prefeito José Fortunati, acompanhado dos secretários municipais, participou da 21ª reunião do OP, que ocorreu no Ginásio do Colégio Marista Assunção. (fotos)

    Mais de 700 pessoas da região participaram da plenária, na qual foram eleitos os novos conselheiros, determinado o número de delegados e priorizadas as novas demandas da região. Fortunati falou da importância do OP como instrumento democrático, onde a comunidade decide como e em que o dinheiro público será aplicado. Na ocasião, foram escolhidos, como prioridades, os investimentos em habitação, educação, saúde e cultura. 

    Os presentes elegeram por aclamação a chapa única composta pelos titulares Sirlei Vargas e  Enilson Schepeff Gambarra da Silva, e como suplentes Edson Florentino Borges e Gilson Fernandes Aquino. Neste ciclo do OP, a região Glória receberá investimentos de R$ 4.932.448,43, que serão aplicados em demandas de saneamento básico, habitação, educação, assistência social e cultura.

    Investimentos em novas demandas - O Plano de Investimentos e Serviços (PI) deste ano contém mais de R$ 80 milhões em demandas novas, sendo R$ 67 milhões das regionais e R$ 12,5 milhões das temáticas. Mesmo não estando imune à crise que afeta o país e o estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre está mantendo sua capacidade de investimentos.  

    Além das discussões acerca das novas demandas das regiões e temáticas e a garantia sobre a continuidade de execução das demandas antigas, os fóruns de delegados e o governo debateram e apresentaram propostas de alteração do regimento interno. As discussões foram conduzidas pelas duas secretarias municipais responsáveis pelo Orçamento Participativo: Governança Local (SMGL) e Planejamento Estratégico e Orçamento (Smpeo).

    Maior participação - Em 2014, quando o OP completou 25 anos de implantação, as Assembleias Regionais e Temáticas registraram recorde histórico de participação. As seis reuniões temáticas e as 17 regionais contabilizaram 17.582 credenciamentos. Nas 17 regiões, a prioridade que mais apareceu na primeira colocação foi habitação. Mas a novidade foi em relação à cultura. Dez das 17 regiões pontuaram cultura entre as quatro prioridades.

    Próximas Assembleias

    27/8 (quinta-feira): região Eixo-Baltazar
    Local: Centro Humanístico Vida - avenida Baltazar de Oliveira Garcia, 2.132 -bairro Passo das Pedras

    29/8 (sábado): região Humaitá-Navegantes
    Local: Escola Municipal Antônio Giudice - rua Caio Brandão de Mello, s/n - Bairro Humaitá

    Acompanhe o Orçamento Participativo

    - Calendário completo da rodada de assembleias regionais e temáticas do Orçamento Participativo 2015/2016.

    - Twitter OP Porto Alegre: @oppoa (ao vivo)

    - Facebook: Orçamento Participativo de Porto Alegre

    - Transmissão ao vivo disponível aqui

    Leia também:

    - OP: região Extremo Sul prioriza saneamento básico

    - Restinga registra maior participação da história do OP

    - Lomba do Pinheiro elege pavimentação como prioridade do OP

    - Moradores da região Noroeste elegem prioridades do OP

    - Região das lhas escolhe pavimentação como prioridade do OP

    - Cultura é a prioridade do OP escolhida pela região Leste

    - Região Sul do OP escolhe habitação como prioridade

    - Região Cristal elege habitação como prioridade no OP

    - Assembleias do OP são transmitidas ao vivo pela Internet

    - Drenagem e dragagem são prioridades para região Norte

    - Região Centro-Sul elege habitação como prioridade no OP 2015/2016

    - Cruzeiro define suas prioridades no Orçamento Participativo

    - OP: região Centro abre assembléias regionais com público recorde

    - Pesquisa identificará o perfil dos participantes do OP

    - OP: temáticas terminam com votação da Saúde e Assistência Social

    - OP: temática da Cultura e Juventude bate recorde histórico

    - OP: demandas serão classificadas pelas qualidades da resiliência














    /orcamento_participativo
    Texto de: Bibiana Barros
    Edição de: Jandira Davila Feijó
    Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

    Prefeitura recebe propostas de artistas de rua em audiência pública

    via zero hora:

    Entidades e coletivos lotaram o Teatro Renascença para debater sobre lei

    Por: Felipe Martini
    26/08/2015 - 23h05min | Atualizada em 26/08/2015 - 23h19min
    Prefeitura recebe propostas de artistas de rua em audiência pública Júlio Cordeiro/Agencia RBS
    Foto: Júlio Cordeiro / Agencia RBS
    Mais de 300 pessoas lotaram o Teatro Renascença em uma audiência pública convocada pela Secretaria da Cultura para discutir as mudanças e a regulamentação da lei dos artistas de rua de Porto Alegre. Mais de 42 coletivos, além de entidades como Sindicato dos Artistas e Técnicos de Espetáculos de Diversões do Rio Grande do Sul, Associação de Músicos da Cidade Baixa e Associação dos Expositores do Brique da Redenção compareceram ao evento.
    "Desconsiderem o texto", diz vice-prefeito da Capital sobre regulamentação de artistas de rua
    — A minuta polêmica não existe mais. Esse evento é um marco zero na discussão sobre a regulamentação da lei. Essa audiência é o primeiro encontro para discutir um novo formato de forma harmônica a lei do artista de rua — explicou Vinícius Cáurio, secretário-adjunto da Cultura, que comandou a audiência.
    Leia a minuta de decreto na íntegra
    Também estavam presentes as vereadoras Fernanda Melchionna e Sofia Cavedon que foram articuladores na criação da lei nº 11.586, de 5 de março de 2014. As duas se manifestaram sobre a regulamentação.
    — A lei foi feita de forma coletiva e traduz a atividade do artista. A cidade está acolhendo, aplaudindo e assistindo. Esse é o resultado da aplicação da lei. Não vejo a necessidade de regulamentação — afirma Sofia.
    Artistas de rua têm em comum a relação com a música ainda na infância
    — Não aceitaremos retrocessos na lei, apenas avanços — pontuou Fernanda.
    No evento, entidades, coletivos e autônomos apresentaram propostas por escrito e defenderam suas ideias. Diversos pontos da lei foram questionados, como a necessidade de informar à prefeitura o dia e hora da apresentação e a questão do artista poder receber apenas uma doação espontânea sem poder estabelecer um preço por seu produto. Muitos representantes também se posicionaram contra a regulamentação.
    Músicos de rua falam sobre a rotina da profissão
    Durante as apresentações, a extinção da minuta, que se tornou polêmica na última semana, foi muito questionada.
    — A minuta está descartada, mas não está descartada a visão de cidade que essa gestão do governo tem — afirmou Ricardo Bordin, da Associação dos Músicos da Cidade Baixa.
    — Temos que agradecer a minuta, pois graças a ela os artistas de rua estão unidos de uma forma nunca antes vista — pontuou Márcio Petraco, do Conjunto Bluegrass Porto-Alegrense.
    Ao fim do evento, um grupo de trabalho foi formado para redigir um calendário e marcar os próximos debates. Nos encontros futuros, também serão envolvidos o Sindilojas, Federasul e algumas associações de moradores. As vereadoras afirmaram que vão acompanhar de perto as negociações.

    SEDAC propõe comissão para debater mudanças no Pró-Cultura RS

    É hora de buscar uma atualização no nosso Pró-Cultura.
    Ontem deflagramos este processo de mudanças.
    Vamos ouvir a sociedade.
    A Secretaria da Cultura e o Conselho Estadual de Cultura farão isso conjuntamente.
    Victor Hugo recebe nova câmara diretiva do CEC e propõe comissão para debater mudanças no Pró-Cultura RS
    O secretário de Estado da Cultura, Victor Hugo, recebeu nesta terça-feira (26) a nova câmara diretiva do Conselho Estadual de Cultura (CEC), empossada recentemente.
    Tendo à frente o conselheiro Dael Prestes Rodrigues, integram a câmara Adriana Donato (vice-presidente), Maria Silveira Marques (secretária-geral) e Marco Aurélio Alves (assessor especial). Eles apresentaram ao secretário reivindicações, buscando melhorias no suporte administrativo que a Sedac oferece ao Conselho.
    Durante o encontro, Victor Hugo propôs a criação de uma comissão bipartite para debater com a sociedade sugestões de novas regras de funcionamento Sistema Estadual Unificado de Apoio e Fomento às Atividades Culturais - Pró-Cultura RS.
    A comissão será composta por quatro representantes da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) e outros quatro do CEC:
    Sedac – André Kryszczun (secretário adjunto), Erica Lewis (diretora de Economia da Cultura), Rafal Bale (coordenador do Pró-Cultura RS) e Leoveral Golzer (diretor de Cidadania e Diversidade Cultural);
    CEC - Dael Prestes Rodrigues, Adriana Donato, Maria Silveira Marques e Marco Aurélio Alves.
    De acordo com secretário, a partir da publicação da Portaria no Diário Oficial do Estado, a Comissão Bipartite terá 60 dias para ouvir a sociedade e propor mudanças nas regras do Pró-Cultura RS.

    Prefeitura desiste de projeto e terreno do Terreira da Tribo volta a ser ocupado na Cidade Baixa

    via zero hora:

    Smov garante que nova retirada de moradores de rua será feita somente quando houver a certeza de que a obra ocorrerá

    Por: André Mags
    27/08/2015 - 04h04min
    Prefeitura desiste de projeto e terreno do Terreira da Tribo volta a ser ocupado na Cidade Baixa Diego Vara/Agencia RBS
    Área foi cedida pelo município à tribo de atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz Foto: Diego Vara / Agencia RBS
    Um sonho acalentado há décadas pelos atuadores da Terreira de Tribo e que parecia estar se concretizando no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, voltou a ficar distante. A construção da sede do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz, na esquina das ruas João Alfredo e Aureliano de Figueiredo Pinto, foi adiada mais uma vez depois que a prefeitura desistiu do projeto original.

    O novo projeto da sede do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz
    Imagem: Smov, divulgação


    Um grupo de moradores de rua chegou a ser retirado do local pela prefeitura no ano passado, em uma ação considerada irregular pela 1ª Promotoria de Justiça de Direitos Humanos do Ministério Público Estadual (MP). A ideia era iniciar a obra em seguida à desocupação. Demorou tanto para começar a construção que parte dos tapumes utilizados para cercar o local foi derrubada. Atualmente, outro grupo de moradores de rua está estabelecido no terreno.
    O que os moradores de rua têm a nos ensinar sobre a relação com os cachorros
    Será preciso desocupar a área de novo. Mas desta vez a prefeitura não quer voltar a se complicar com o MP. Um novo projeto foi feito por técnicos da Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov), e a prefeitura vai esperar até a confirmação de que está tudo nos conformes e que realmente a obra pode começar, conforme o secretário-adjunto de Obras e Viação, João Pancinha:
    — Naquela ocasião, o projeto tinha suas dificuldades praticamente sanadas. Só que, na hora de começar a obra, foi feita uma verificação final, e a fundação ficou muito cara, inviabilizando o projeto. Não vai se fazer nada por enquanto, até que a gente tenha condições de iniciar a obra.
    E se Porto Alegre se adaptasse aos moradores de rua?
    O objetivo é fazer a licitação em meados de outubro para começar a obra ainda neste ano, entre o final de novembro e início de dezembro. Segundo Pancinha, o Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) foi aprovado há cerca de 10 dias. A seguir, será preciso aprovar o projeto arquitetônico, o que está em fase final na Secretaria Municipal de Urbanismo (Smurb), ressaltou o secretário-adjunto.
    Porto Alegre tem alteração no perfil de moradores de rua
    Sobre o projeto anterior, Pancinha comentou, apesar de não estar na prefeitura na época, que se tornou "inviável" por problemas de incompatibilização com o terreno e o custo da fundação. O escritório autor do projeto original, o RGS Arquitetura, não sabia da desistência da prefeitura, conforme a arquiteta Genoveva Scherer. Ela disse que o projeto tinha cerca de 10 anos e foi doado à Terreira da Tribo, resultando sem custos à prefeitura.
    Ocupantes da área são guardadores de rua e papeleiros
    O descarte do projeto original às vésperas do início da obra foi um banho de água fria no Ói Nóis Aqui Traveiz. Ao grupo, foi informado que havia uma série de problemas, como a abertura de licitação sem que o projeto fosse revisado. Também foi dito que as fundações não haviam sido projetadas. A atuadora Tânia Farias chegou a pensar que a ideia de ter uma sede própria morreria na praia. Atualmente, o grupo utiliza um prédio alugado na Rua Santos Dumont, 1.186, no bairro São Geraldo (Zona Norte).
    — Tem um momento em que se pensa: será que vamos ver isso em pé? Tem sido uma batalha garantir um espaço público, são anos e anos de luta. Mas neste momento tenho uma grande esperança. Ou se tem paciência ou não tem o que fazer — afirmou Tânia.
    Moradores da Cidade Baixa pedem soluções para barulho e violência
    Futuramente, a construção vai mexer na vida dos novos ocupantes do terreno, que são, basicamente, guardadores de carros e papeleiros. Um dia, as oito pessoas que vivem em cinco casebres na área que receberá a sede da Terreira da Tribo terão de deixá-la. Elas pedem de antemão que a prefeitura as destine a algum lugar definitivo.
    — Não sabia que iam construir um prédio aqui — observou o guardador de carros Carlos Augusto da Silva, 52 anos.
    Moradores da Cidade Baixa pedem restrições para o Carnaval 2016
    Silva mora ali faz cerca de três meses, mas outros se encontram no local há mais tempo, entre cinco e seis meses.

    Carlos Augusto da Silva pede à prefeitura um novo lugar para morar
    Foto: Diego Vara


    A vizinhança tem opiniões conflitantes sobre os moradores de rua acampados na esquina. Há quem queira que sejam desalojados e os que enxergam um problema social mais complexo e os tratam como vítimas das circunstâncias. Condôminos de prédios da região relatam casos de brigas nas redondezas envolvendo os sem-teto. Outros garantem que não se trata de ladrões nem de traficantes.
    Leia todas as notícias do diaLeia todas as notícias de Porto Alegre 
    O administrador Márcio Fagundes, 51 anos, chegou a pedir formalmente à prefeitura que transformasse o terreno em um estacionamento para dar-lhe utilidade. O pedido foi rejeitado no último dia 11. O próprio Terreira de Tribo causa preocupação a Fagundes. Ele recorda da antiga sede precária mantida pelo grupo na mesma esquina e reclama do barulho que produzia. Espera que o novo prédio tenha proteção acústica:
    — De barulho aqui, chega.
    Um ícone do teatro gaúcho sem sede própria
    - O Ói Nóis Aqui Traveiz nasceu em 1978, influenciado por grupos de teatro americanos como o Living Theater e o Open Theater, que apimentavam suas montagens com radicalismo político, nudez e provocação ao público.
    - A primeira sede foi uma ex-boate, na Rua Ramiro Barcelos. Depois, o grupo se instalou na Terreira da Tribo em 1984, que era um casarão de dois andares na Rua José do Patrocínio. Foi despejado em 1999 pelos donos do terreno. Eles tiveram de se mudar para a Rua João Inácio, no bairro Navegantes.
    - Em 2008, a prefeitura cedeu o terreno localizado na esquina da Rua João Alfredo com a Avenida Aureliano de Figueiredo Pinto. Quatro anos depois, com projeto pronto, se esperava que a nova sede saísse finalmente do papel. No entanto, a expectativa não se confirmou.
    - A Secretaria Municipal de Obras e Viação (Smov) apontou, em janeiro de 2014, que havia incompatibilidades entre o projeto arquitetônico e o plano de fundações. A planta do futuro centro foi refeita e reavaliada por órgãos públicos mesmo após o anúncio da empresa vencedora da licitação, a 5S Arquitetura e Design.
    - Em maio de 2014, a Secretaria Municipal da Cultura informou que os entraves estavam resolvidos. Havia R$ 1,4 milhão, vindos do Ministério da Cultura, para fazer parte da obra. Para a conclusão, porém, ainda faltava R$ 1 milhão, e, para complicar, a área já estava sendo ocupada por moradores de rua.
    - Os moradores de rua foram desalojados pela prefeitura no final de julho de 2014. As 13 famílias de sem-teto foram convidadas a se retirar e, apesar de não ter havido remoção à força, não havia mandado judicial para a operação. Por isso, o Ministério Público considerou a ação irregular.

    Projeto feito pela Smov para a sede da Terreira da Tribo
    Imagem: Smov, divulgação