Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

31 de julho de 2013

9ª Conferencia de Cultura e Lançamento da Consulta do Plano Municipal de Cultura



            Nos dias 3, 4 e 10 de agosto será realizada a 9ª Conferência Municipal de Cultura de Porto Alegre, na Câmara Municipal de Vereadores. O evento é uma realização conjunta da sociedade civil, através do Conselho e da Secretaria Municipal de Cultura.

            A pauta será a elaboração do Plano Municipal de Cultura com validade até 2023. A conferência será dividida em pré-conferências, nos dias 3 e 4, que terão caráter de audiências públicas para o plano, e em uma plenária final, no dia 10, para aprovação do relatório com as resoluções de políticas culturais.  Serão trabalhados 7 eixos que norteiam o plano municipal: 1) Estado,  2) Infraestrutura, 3) Patrimônio Cultural,  4) Desenvolvimento Sustentável, 5) Acesso à Cultura e Desenvolvimento Cultural, 6) Formação Cultural e 7) Participação Social.

            Porto Alegre é a única cidade brasileira que realizou oito conferências de cultura. Nesta nona conferência é o momento de encaminhar as resoluções para transformar em lei o Plano Municipal de Cultura de Porto Alegre.

            O plano tem como base o diagnóstico cultural de Porto Alegre, no formato de uma panorama da gestão pública de cultura da cidade. O trabalho foi composto por mais de 400 resoluções, resultantes de oito conferências da cidade, bem como por um mapeamento dos espaços e projetos gestados pela municipalidade.

            A consulta pública é o texto base do Plano Municipal de Cultura e está disponibilizada na internet para que a sociedade possa contribuir com novas proposições e dar opinião sobre as resoluções, além de realizar o pré-cadastro para a conferência.

            Consulta Pública e pré-cadastro conferência: http://pmcportoalegre.com.br/

            No dia 9 de agosto, sexta-feira será realizado um Ato pela Cultura, em frente do Paço Municipal, com entidades culturais e movimentos sociais para entrega de um manifesto em atenção às políticas públicas de cultura da cidade de Porto Alegre.

            Para mais informações: http://cmcpoa.blogspot.com.br

Paulo Guimarães – Presidente
Comissão de Organização da 9ª CMC.
Fone: 51 9987.5880


PEDIMOS A TODOS AJUDAREM NA DIVULGAÇÃO  MANDANDO PARA SUAS LISTAS








PROGRAMAÇÃO:


PRÉ-CONFERÊNCIAS

Sábado, 3 de agosto de 2013
    8h-9h – Credenciamento
    9h-11h – Leitura do Regimento e orientações de metodologia
    11h-12h – Eleição dos delegados por eixos temáticos
    12h-13h30 – Almoço
    13h30-17h30 – Encaminhamento das propostas por eixos temáticos:
                           1) Estado
                           2) Infraestrutura
                           3) Patrimônio Cultural
                           4) Desenvolvimento Sustentável

Domingo, 4 de agosto de 2013
    13h30-17h30 – Encaminhamento das propostas por eixos temáticos:
                         5) Acesso à Cultura e Desenvolvimento
                             Cultural
                         6) Formação Cultural
                         7) Participação Social

PLENÁRIA FINAL

Sábado, 10 de agosto de 2013
    8h-9h – Credenciamento
    9h-10h – Abertura
    10h-11h – Palestra sobre o Sistema Nacional de Cultura – MINC
    11h-12h – Eleição delegados para a Conferência Estadual de Cultura
    12h-13h30 – Almoço
    13h30-17h - Aprovação do relatório final da 9ª Conferência Municipal de Cultura
    17h-17h30 – Votação das moções


 

30 de julho de 2013

Conselhos municipais têm reunião nesta quarta-feira

Representantes dos 26 conselhos municipais têm encontro marcado com representantes das secretarias, empresas e departamentos da Prefeitura de Porto Alegre, na manhã desta quarta-feira, 31, a partir das 9h30min, na Sala C da Secretaria de Administração (Rua Siqueira Campos, 1300, 11º andar). Na reunião, os integrantes dos conselhos e os representantes da administração municipal deverão debater meios de fortalecer as relações entre poder público e sociedade civil. A reunião é aberta a todos os interessados.

Com apoio da Secretaria de Governança Local, o Fórum Municipal dos Conselhos da Cidade realiza encontro mensal sempre na última quarta-feira do mês. A Coordenadora de Políticas Públicas para os Conselhos Municipais, Isabel Bretanha, servidora da Governança, salienta que "mais de 90% das secretarias municipais confirmaram presença". Ela destaca a importância da reunião: "As pessoas estão exigindo, com razão, cada vez maior participação nos processos de decisão. Contribuir para isso é contribuir para o fortalecimento da democracia".
 



/governanca

Texto de: Poti Silveira Campos
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Espetáculo Bastidores estreia amanhã no Quartas na Dança



Crédito: Daniel Teixeira
Amanhã, 31 de julho, o projeto Quartas na Dança traz em estreia o espetáculo de dança de salão Bastidores, do Território da Dança. O trabalho que tem direção geral de Júnior Coppes envolve não apenas dança, mas também dramaturgia. O espetáculo procura mostrar ao público os mistérios do trajeto de um espetáculo de sua concepção até sua execução final. O elenco conta com a participação de 33 bailarinos e direção de produção de Gilson Petrillo.
A apresentação será no Teatro Renascença (Av. Érico Veríssimo, 307), às 20 horas, com ingressos a R$ 10,00 (50% de desconto para estudantes, maiores de 60 e classe artística). O Quartas na Dança é uma iniciativa do Centro de Dança da Secretaria da Cultura de Porto Alegre.

O Centro Municipal de Dança aceita agendamento prévio para escolas e instituições com ingresso franqueado. Outras informações podem ser obtidas através do tel. 3289-8063, ou pelo e-mail(tomazzoni@smc.prefpoa.com.br ).

29 de julho de 2013

2ª Edição da Escola de Espectadores de Porto Alegre


Estão abertas as inscrições para a 2ª edição da Escola de Espectadores de Porto Alegre.
O primeiro encontro será dia 10 de agosto.

( Espetáculo A marca da água )

Escola de Espectadores
As atividades da EEPA seguem o modelo que já funciona com sucesso em Buenos Aires, Montevidéu, Cidade do México, La Paz, Santiago do Chile, Medelin e Lima, conciliando aulas sobre fundamentos de artes cênicas e debates com diretores, atores, produtores e técnicos tendo por tema produções de artes cênicas que estejam em cartaz em Porto Alegre.
(Espetáculo O sobrado)

As atividades da EEPA, coordenadas por Renato Mendonça, são gratuitas e não são exigidos quaisquer pré-requisitos dos alunos.
As aulas são quinzenais e acontecem na sala Álvaro Moreyra (Centro Municipal de Cultura, Av. Erico Veríssimo, 307), sempre aos sábados, das 10h ao meio-dia.

Para inscrição é necessário enviar um e-mail para inscrevacac@gmail.com com as seguintes informações:
Nome completo;
Telefone;
Como você se informa da programação teatral da cidade;
Qual a sua motivação/expectativa em relação a Escola de Espectadores de Porto Alegre.

(última aula da 1ª edição)

A Boina agora faz parte da Indumentária Gaúcha como Traje Alternativo

A Boina agora faz parte da Indumentária Gaúcha como Traje Alternativo. Foi votado na Convenção Tradicionalista que ocorreu neste fim de semana em Porto Alegre.
Segundo as Diretrizes de Pilcha, o Traje Alternativo:

Pode ser usado nestas situações:
1) Ocasiões de trabalho e informais;
2) Atividades campeiras (participação em eventos campeiros, seja como concorrente, atividades de organização e serviço de secretaria de rodeios);
3) Atividades esportivas e prática de esportes campeiros tradicionais;
4) Atividades ligadas ao CTG quando realizadas em ÁREAS EXTERNAS;
5) Na fase campeira do Entrevero cultural de peões;
6) Visitação em eventos externos.

Não pode ser utilizado nas seguintes ocasiões:
1) Em situações que tenham caráter de formalidade;
2) Em competições artísticas, e ou culturais;
3) Em palestras, cursos tradicionalistas, seminários;
4) Na Ciranda Cultural de Prendas, e no Entrevero Cultural de Peões, exceto na parte campeira;
5) No ENART quando for concorrente, avaliador ou apresentador de palco;
6) Nos Congressos e Convenções Tradicionalistas;
7) EM BAILES, FANDANGOS E DOMINGUIERAS.

Situação da renovação acordo de Porto Alegre ao Sistema Nacional de Cultura em 29/07/13

92.963.560/0001-60 01400.027799/2011-01    Porto Alegre  1440939 08/05/2013 13 - Acordo aguardando renovação
VEJA  MAIS EM:

28 de julho de 2013

Inscrições para o Prêmio Sesc de Literatura 2013 seguem até 31 de julho


 

Candidatos podem concorrer nas categorias conto e romance


Já estão abertas as inscrições para o Prêmio Sesc de Literatura 2013. Os candidatos podem concorrer nas categorias conto e romance, porém os textos precisam ser inéditos. A distinção foi criada em 2003, com o objetivo de identificar escritores cujas obras possuam qualidade literária para edição e circulação nacional. As inscrições seguem abertas até 31 de julho pelosite www.sesc.com.br/premiosesc. Os interessados devem preencher o formulário e enviar a obra para a Gerência de Cultura do Sesc/RS (Av. Alberto Bins, 665 – 5º andar).

Os livros devem ser destinados ao público adulto, em língua portuguesa e o autor deve ter mais de 18 anos. O processo de seleção das obras é feito em duas etapas. Inicialmente, cinco subcomissões regionais fazem uma pré-seleção das obras para encaminhamento à comissão final. O júri final elege as obras vencedoras, podendo selecionar até três menções honrosas em cada categoria. O candidato é julgado através de um pseudônimo.

O Prêmio Sesc de Literatura é um concurso anual, voltado para escritores inéditos, que publica e distribui obras literárias de qualidade por meio de uma seleção democrática e criteriosa. Com esse Prêmio, os escritores entram para o catálogo da Editora e passam a receber os direitos autorais correspondentes à comercialização em livrarias, além de terem seus livros distribuídos para toda a rede de bibliotecas e salas de leitura do Sesc em todo o país e para escritores, críticos literários e formadores de opinião.

A iniciativa visa revelar novos talentos e promover a literatura nacional: mais do que oferecer uma oportunidade a novos escritores, o Prêmio Sesc de Literatura cumpre um importante papel na área de cultura, proporcionando uma renovação no panorama editorial brasileiro. O edital com as informações completas sobre o Prêmio Sesc de Literatura está disponível no site www.sesc.com.br/premiosesc.

Sobre o Sesc - No Rio Grande do Sul, o Sesc está presente nos 497 municípios gaúchos com atividades sistemáticas em áreas como a saúde, esporte, lazer, cultura, cidadania, turismo e educação. Desta forma, o Sesc/RS desempenha o papel social, assim como o Senac o da qualificação profissional do Sistema Fecomércio-RS, entidade que atua em âmbito econômico, político e social pela constante qualificação e desenvolvimento do setor terciário gaúcho. Saiba mais sobre a entidade em www.sesc-rs.com.br.


Fontes: Sitio Ecult e Confraria dos Poetas de Jaguarão

Casa de Cultura Mario Quintana festeja aniversário do poeta


Para celebrar o aniversário do poeta Mario Quintana, a Casa de Cultura Mario Quintana programou diversas atividades de 30 de julho, data do nascimento, a 1° de agosto, entre apresentações musicais e circenses, dirigidas a crianças, adolescentes e adultos, oficinas e distribuição do livro Pé de Pilão.
O evento conta com ações concebidas junto com a FestPoA Literária: o Ler Quintana 107 anos, dedicado a leituras, comentários e análises de sua poesia, em oficinas, mesas de debate, sarau, pocket show e palestras. Entre os convidados, participam das atividades os escritores Armindo Trevisan, Christina Dias, Diego Grando, Marô Barbieri e Sidnei Schneider.
Toda a programação tem entrada franca. As inscrições para oficinas estarão abertas de 22 a 29 de julho.
Programação no blog www.ccmq.com.br/lerquintana.
Programação: 
Terça-feira, 30 de julho.
11h e 14h – Oficina de cataventos com Debora Sarmento – Sapato Florido
14h – Oficina de percussão corporal com BatuKatu – Hall térreo
14h – Oficina de trapézio e circo com Mark Octave – Travessa
15h – Oficina de confecção de instrumentos com material reciclável – Chicão Dorneles – Cecy Frank
15h – Visita guiada com Traça Biblió
17h – Lançamento da microgaleria do laboratório de Fotografia – Hall 4° andar
18h30 – Coquetel de lançamento do III Festival de Esquetes – Hall do Jardim
18h30 – Grupo vocal UPA – Foyer da Luís Cosme
Programação Ler Quintana
16h – Oficina Para Gostar de ler poesia, basta ler… Poesia,  com Guto Leite – Sala A2B2
18h - Oficina Desencaixotando Quintana, com Eliana Mara Chiossi – Sala A2B2
19h - 5 minutos de Quintana, leituras de poemas por Paulo Seben/Meu encontro com Quintana - palestra com Cláudio Levitan e mediação de Fernando Ramos – Mezanino
20h30 -  Cantadas literárias - pocket show Eu beijei Quintana na boca de meu irmão, com Sandro Dorneles – Mezanino
21h – Sarau Poemas de Quintana com mediação da FestiPoa Literária e Cabaré do Verbo – Mezanino
Quarta-feira, 31 de julho.
14h – Contação de história com marionetes e distribuição de livros Pé de Pilão com Jaqueline Rosa – Jardim da Sapato Florido
14h – Oficina de percussão corporal com BatuKatu – Hall térreo
14h – Oficina de malabares com Karine Rico – Travessa
15h – Oficina de confecção de instrumentos com material reciclável – Chicão Dorneles – Cecy Frank
19h – Coral Cantaventos – Travessa
20h – Orquestra Jovem do RS – Teatro Bruno Kiefer
Programação Ler Quintana
16h - Oficina Para Gostar de ler poesia, basta ler… Poesia, com Diego Petrarca – Sala A2B2
18h - Oficina Desencaixotando Quintana, com Eliana Mara Chiossi – Sala A2B2
18h30 – Oficina Os muitos Quintanas de Quintana: itinerário de leitura, com Diego Grando
19h - 5 minutos de Quintana - leitura de poemas por Ana Melo/A poesia de MQ - conferência com Armindo Trevisan – Sala Luís Cosme.
Quinta-feira, 1° de agosto
10h - Oficina de Dança moderna e contemporânea – Eva Schul
12h – Música com banda Bombo Larai no Quindim – Travessa
14h – Oficina de percussão corporal com BatuKatu (IEM) – Hall térreo
14h – Oficina de acrobacia circense com Juliana Coutinho – Travessa
14h – Oficina de malabares com Renata Nascimento – Travessa
15h – Oficina de confecção de instrumentos com material reciclável – Chicão Dorneles – Cecy Frank
18h30 – Stone Jazz Band – Travessa
19h - Lançamento do Sistema Sonoro da Galeria Radamés Gnatalli pela abertura da exposição de audiovisual e poesia da imagem com fotografias baseada na poesia de MQ
Programação Ler Quintana
14h - Paradinha Literária com Christina Dias e Antônio Vasques – Sapato Florido
16h - Oficina Para Gostar de ler poesia, basta ler… Poesia, com Marô Barbieri – Sala A2B2
18h - Oficina Desencaixotando Quintana, com Eliana Mara Chiossi – Sala A2B2
18h30 - 5 minutos de Quintana - leitura de poemas de Quintana por Caio Riter/Oficina Os muitos Quintanas de Quintana: itinerário de leitura, com Diego Grando – Sala C2
19h - 5 minutos de Quintana - leitura de poemas de Quintana por Laís Chaffe/Quintanares - mesa de debate e leituras com Sidnei Schneider e Diego Petrarca – Luís Cosme.
21h – Mostra Artística Cabaré do Verbo Nos passos de Quintana - Mezanino

27 de julho de 2013

Guti Fraga é novo presidente da Funarte


O ator e diretor de teatro Guti Fraga é o novo presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Ele foi convidado pela ministra Marta Suplicy para ocupar o lugar de Antonio Grassi, na última quinta-feira (25/7).
Foto: Sam Howzit
Nascido no Mato Grosso, Gotschalk da Silva Fraga mudou-se para a favela do Vidigal, no Rio de Janeiro, em 1977, onde nove anos depois fundou o Grupo Nós do Morro, que ajudou a formar e dar visibilidade a centenas de jovens atores e artistas em projetos ligados ao teatro, ao cinema e à música.
Guti tornou-se referência nacional na articulação entre arte, educação e inclusão social. Aos 61 anos, ele acredita que foi o reconhecimento do aspecto multidisciplinar de seu projeto que o levou a receber o convite da ministra. “Creio que a ministra observou essa conexão entre o Nós do Morro e as mais diferentes vertentes artísticas. O projeto sempre teve a missão de apoiar e fomentar as artes. Agora, o desafio é entender como funciona a Funarte e ampliar suas possibilidades de ação”, disse em entrevista ao jornal O Globo.
A posse deve acontecer em 15 dias. Há duas semanas, desde a saída de Grassi – que assumiu uma diretoria no Instituto Inhotim, o centro de arte contemporânea instalado em Brumadinho (MG) -, a presidência da Funarte está sendo conduzida interinamente pela diretora executiva Myriam Lewin.
Entre os objetivos do novo presidente está integrar as criações artísticas desenvolvidas nas diferentes regiões do país. Ao Globo ele disse que “é preciso focar nessa inter-relação entre estados e regiões”.
Por meio de sua assessoria de imprensa, Marta Suplicy disse ao jornal Folha de S. Paulo estar entusiasmada. Segundo ela, Guti Fraga tem um perfil ousado e criativo e tem contato com as ruas.
Fraga estudou medicina e agronomia quando morou em Buenos Aires, no final da década de 1970, mas não terminou os cursos. Ele se formou em jornalismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1980. Paralelamente, fez um curso técnico de interpretação na Escola Martins Pena. Dirigiu cerca de 30 espetáculos de teatro e participou do elenco de mais de vinte longas-metragens.
*Com informações da Folha Online, Estadão.com, Uai e O Globo

Procultura – Incentivos para FNC e Ficart

VIA CULTURA E MERCADO:

O Projeto de Lei que institui o Procultura pretende trazer mudanças significativas ao cenário do incentivo à cultura no Brasil. Tendo em vista tirar o Mecenato do papel de protagonista da história, o substitutivo do deputado federal Pedro Eugênio (PT-PE) – protocolado na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados no dia 15 de maio de 2013 – propõe colocar em cena os outros dois mecanismos previstos na Lei Rouanet: o Fundo Nacional de Cultura e os Ficart (Fundos de Investimento Cultural e Artístico).
 O primeiro mal passou de figurante. O último nunca saiu do caderno do roteiro.
Foto: Jason Rogers
O FNC foi criado na Lei Rouanet com o objetivo de estimular a distribuição regional dos recursos a serem aplicados na execução de projetos culturais artísticos, a produção regional e artistas e produtores que não encontram amparo no mercado. Os Ficart foram idealizados para solucionar questões de infra-estrutura da indústria cultural, como construção de estúdios, de casas de espetáculos, importação de equipamentos, e serem utilizados em eventos de grande porte, como musicais, turnês de artistas internacionais e festivais – ações que acabaram, com o tempo, se acomodando no Mecenato.
O FNC recebe recursos de instituições públicas e privadas e os repassa aos projetos, por meio de editais. Os Ficart seriam formados por recursos do mercado financeiro e o valor das cotas não poderia ser deduzido do Imposto de Renda.
De acordo com o Projeto de Lei Orçamentária para 2013, o Fundo Nacional da Cultura terá neste ano R$ 370 milhões – os recursos destinados ao Mecenato somam R$ 1,7 bilhão.
O PL que cria o Procultura propõe que a taxa de renúncia fiscal para pessoa jurídica passe dos atuais 4% do imposto devido para até 6%. O primeiro 1% (que representa 20% da renúncia total) iria para o FNC. E como um atrativo para os patrocinadores doarem recursos próprios para o fundo, se fizerem doações de recursos próprios para o fundo, poderão alcançar 6% de renúncia. “É um mecanismo que associa incentivos às empresas doarem recursos próprios ao Fundo com transferências voluntárias. Quem não quiser, continua a utilizar os 4% como é hoje, mas quem quiser ter mais renúncia terá que colocar recursos próprios no Fundo e compartilhar parte da renúncia com o Fundo. Crescem assim tanto o FNC quanto o Mecenato. É mais recurso para a cultura”, afirmou o deputado Pedro Eugênio em entrevista a este Cultura e Mercado em abril de 2012.
Os recursos do FNC serão aplicados em três modalidades: não-reembolsável, para apoio a projetos culturais, transferências para fundos de cultura dos Estados, Distrito Federal e Municípios e equalização de encargos financeiros e constituição de fundos de aval nas operações de crédito; reembolsável, destinada ao estímulo da atividades produtivas das empresas de natureza cultural e pessoas físicas, mediante concessão de empréstimos, limitados a 10% dos recursos do fundo; investimento, por meio de associações a empresas e projetos culturais e da aquisição de cotas de fundos privados, com participação econômica nos resultados.
Os critérios de aplicação dos recursos do Fundo prevêem no mínimo 10% em cada região do país, sendo que cada Estado e o Distrito Federal deverão receber, no mínimo, o mesmo percentual de sua população em relação à população brasileira, limitado a 2%.
De acordo com o substitutivo, no mínimo 30% de recursos do FNC deverão ser destinados, por meio de transferência direta, a fundos públicos de Municípios, Estados e do Distrito Federal. Do montante geral destinado aos Estados, 50% será repassado aos seus Municípios, por meio de transferência direta aos fundos municipais de cultura, num prazo máximo de 180 dias. Para isso é necessário que existam os fundos de cultura aptos a efetuar a transferência, plano de cultura em vigor e órgão colegiado oficialmente instituído.
“É importante aumentar o fluxo de recursos privados para a cultura tanto quanto é fundamental aumentar a participação da pasta nos orçamentos públicos de todas as instâncias – municipal, estadual e federal”, acredita Gui Afif, sócio da empresa de consultoria e gestão de patrocínios Guaimbé Bureau de Cultura. Para descentralizar e democratizar o investimento cultural, não apenas a produção e o acesso, ele defende a extensão às empresas que trabalham em regime de lucro presumido. “Desta forma seria possível a criação de fundos municipais que reunissem recursos do comércio, indústria e serviços locais de diversas regiões do Brasil, apoiando pequenos projetos de maneira homogênea e democrática”, afirma.
Com relação aos Ficart, a Lei Rouanet não traz nenhum incentivo fiscal. Já o novo projeto permite que as pessoas físicas e pessoas jurídicas tributadas com base no lucro real deduzam do imposto de renda devido até 100% do valor despendido para aquisição de cotas dos Ficart, nos anos-calendário de 2013 a 2017. “Essa é a mudança mais importante”, diz o deputado Pedro Eugênio.
Para o advogado Fábio de Sá Cesnik, sócio do escritório Cesnik, Quintino & Salinas, especializado na área cultural, criar um incentivo para uma indústria que precisa se desenvolver parece uma medida saudável, se bem direcionada. “Se ele for realmente direcionado nos eixos que devem ser estimulados, ao desenvolvimento da indústria do entretenimento ao vivo, por exemplo, pode ser uma propulsão diferente e interessante”. No entanto, 100% de benefício voltado a fundos de investimento, segundo ele, parece um retrocesso. “Acho bacana que a gente consiga criar um incentivo para tirar o Ficart da inércia, mas não faz muito sentido pensar em dar 100% de benefício para operações comerciais. É um desvirtuamento”, afirma.
Afif acredita que os fundos setoriais são um dos pilares da atuação do Estado no financiamento à cultura e devem continuar sendo sempre incentivados. Mas tem dúvidas sobre a eficácia da ação do Estado na atração do capital privado no “atacado”.
Para ele, com a globalização da produção cultural, o financiamento ao setor orientado para resultados e com uma visão de mercado é o futuro. E em algum momento todos os setores da economia criativa se beneficiarão, desde os mais vendáveis e lucrativos até os mais fechados. “Para estes últimos, os mecanismos governamentais funcionarão mais eficientemente, pois terão menos concorrência com os projetos comerciais – que hoje também têm dificuldade de se financiar, por isso recorrem aos incentivos. Neste cenário futuro, a importância do papel do FNC e dos Ficarts aumenta, pois o governo poderá atuar utilizando os resultados de iniciativas comerciais rentáveis financiadas por ele para incentivar iniciativas prioritárias para suas políticas.”

11ª aula Curso MINC/UFRGS com Antonio Albino Canelas Rubin